sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Regresso...


No outro dia, revi o filme "AVATAR". Que película genial! Sinceramente não me importava nada de ir viver para o mundo "Pandora".
Para mim, fazer campismo é um pouco uma busca pessoal incessante de reatar a ligação com a nossa Terra, tal e qual aqueles nativos do filme, têm com o planeta deles. Já fomos assim, e isso está gravado nas nossas células, quer queiramos ou não. Uns sentem essa falta, outros (a maior parte) infelizmente ignoram, mas pior, é que atrapalham os primeiros, com o seu egoísmo, egocentrismo, falta de civismo e de educação.
Por essa razão, o meu regresso a casa acabou por ser antecipado.
Apercebi-me nesta minha última estadia, que muito, muito poucos procuram o campismo como opcção. Maior parte, opta acampar pois é a solução mais barata, não tendo a miníma consciência do poder revitalizante que é estar em contacto directo com o meio ambiente, tal como faziam os nossos antepassados. Ignorando esse poder, parece que fazem questão de mostrar a falta de respeito primeiro com o meio onde estão inseridos e segundo pelos outros.
Mas, apesar de saber que ia ter de lidar com isso (todos as épocas é a mesma coisa, embora note que de ano para ano está piorar) tive uma grande desilusão: apercebi-me pela primeira vez que, os que exploram comercialmente o espaço, interessam-se mais em alimentar essas faltas de valores afim de fazerem elevadas facturações. Garantir princípios e qualidade, infelizmente parece que ainda não faz dinheiro.
Revoltando-me e não aguentando mais (agora eram todas as noites "raves" na praia até quase de manhã, lá se ía o adormecer com o som das ondas e pior, fazer as minhas caminhadas na praia vendo tudo sujo como consequência dessas mesmas festas), acabei por antecipar o meu regresso, mas claro, sem antes fazer ver o meu ponto de vista junto da gerência do parque. Ah sim... tiveram de me ouvir!!!

De todas as experiência por que passo, tento retirar lições, e desta vez retiro essencialmente três:

1º A maior parte das pessoas não opta acampar com o mesmo objectivo que eu;

2º As pessoas (infelizmente e principalmente jovens) estão cada vez mais "desligados", optando ignorar o meio ambiente, os outros e até eles próprios, parece que a palavra Valores nada já diz;

3º Tentar não voltar a acampar no mês de Agosto... quando há menos pessoas de certeza que há mais a Paz que procuro.

Se fosse eu que gerisse o parque, impunha e fazia cumprir regras que garantissem, sobretudo o respeito pela Natureza que estava a explorar e o respeito pelo próximo. Façam a vida que quiserem mas não atrapalhem os outros.
Quem não cumprisse, era posto à porta do parque. Mas claro... isso não fabrica dinheiro e não faz lucro, só resultaria mesmo no mundo "Pandora"...

1 comentário:

  1. Querida Sara, como deves calcular e do que conheces de mim, concordo absolutamente contigo.
    Felizmente, os meus pais deram-me a melhor herança que podia ter: Valores. Recebi-os e, para mim, isso vale tanto.
    É triste essas pessoas não verem para além do próprio umbigo, são egoístas, as que fazem disso um negócio e só pensam em dinheiro.
    Estão desconectadas e não Vivem, Sobrevivem à volta do seu próprio umbigo, por isso é que o Planeta tem tantas feridas abertas.
    Tenta aproveitar o resto das tuas férias noutro recanto mais sereno, pessoalmente não tiro férias em Agosto, mas sei que tu não tens propriamente opção.
    Tudo acontece por uma razão.
    Beijinhos e tenta aproveitar o que resta das férias.

    ResponderEliminar