quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Ciclo de Workshops Out.12/Jun.13


Ciclo de Workshops de Dança Oriental
Outubro 2012 a Junho 2013

Já se encontra disponível o ciclo de workshops/curso intensivo 2012/2013 com Sara Naadirah.
Aproveite esta oportunidade para iniciar-se ou aprofundar os seus conhecimentos nesta dança única e inscreva-se :

9 Workshops / 3 Temas / 1 Curso Intensivo
Nível Aberto

IDEAL
a todos,
ESSÊNCIAL
aos iniciantes,
IMPERDÍVEL
a quem deseja ensinar ou é profissional,
FUNDAMENTAL
a quem não se acomoda e quer levar mais longe os seus conhecimentos.
FINALMENTE, se não tinha tempo para frequentar aulas semanais, tem aqui a sua oportunidade.
Aprenda D. Oriental como sempre desejou e a um preço acessível.
INSCREVA-SE e ENRIQUEÇA A SUA DANÇA, LEVANDO-A A OUTRO NÍVEL!
Prometo, que de uma vez por todas, irá esclarecer aquelas dúvidas e desbloquear aqueles movimentos de modo a transformar a maneira como dança!!!!


Local:
Mahatab, estudio de dança
Rua Marechal saldenha 28, Lisboa

Horário:
Um sábado por mês,
Das 9h30 às 11h30

Temas e Datas:
A Técnica da Dança Orientalsua técnica básica e expressão:
- 20 Outubro - A Técnica da D. Oriental I
- 10 NovembroA Técnica da D. Oriental II
- 15 Dezembro  - A Técnica da D. Oriental III
Os Adereços sua técnica e estilo:
- 26 Janeiro - Véu
- 23 Fevereiro  - Asas de Isis
- 16 Março – Bastão
Os Estilos - suas características e principais movimentos:
- 20 Abril - Clássico
- 18 Maio - Folclore
- 15 Junho - Moderno


Investimento:
9 workshops 180€ - com certificado de participação no final
3 workshops – 75€
1 workshop – 35€


Inscrição:
. para garantir a sua inscrição terá de fazer o pagamento do valor total da modalidade que se inscreve, por transferência bancária para o nib: 0007.0271.00150604809.65 (BES);
. após a transferência, terá de informar o seu nome, telemóvel , o valor que transferiu e quais os workshops que se inscreve para o e-mail: saranaadirah@gmail.com ou 914258256;
OBS: possibilidade de outras modalidades de pagamento faseado. Contacte Sara N. para combinar a melhor forma.

Para mais informações ou dúvidas contacte:
saranaadirah@gmail.com ou 914258256

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Sabem que mais: que vá tudo à MERDA!

É pá desculpem-me (ou não) mas vou desabafar. 
Estou sinceramente farta desta MERDA toda... desde os nossos governantes ao meu vizinho. Dos portugueses e do resto do mundo. Da estupidez generalizada e da ignorância na forma de "chico esperto". Da falta de respeito em tudo que vejo. Do oportunismo barato. Dos que gostam de "cantar de galo" mas são uns cobardes de... merda. Da merda da crise, da merda da troika, da merda da casa dos "degredos", etc...etc...etc...
Sinceramente, há dias que, quando abro os olhos de manhã só me apetece fechá-los de novo... estou farta de tanta baixeza, tristeza, preocupações, contas para pagar, tentar arranjar trabalho não sei bem onde.  Hoje pergunto-me se todo o meu esforço, dedicação, investimento valeu a pena... não sei... só sei que neste momento sinto-me a rastejar por uma luta muito provavelmente inglória. 
Oiço as noticias e é só merda;
Ligo-me no facebook e maior parte é merda;
Vejo o correio e mais uma vez... merda;
E só estamos em Setembro... inicio de época... que merda!

Quero sim continuar a lutar pelos meus sonhos mas a esperança vai-se desvanecendo. Está MUITO, mas MUITO difícil e tenho a certeza que falo também por muitos. Tenho 33 anos e há 10 que trabalho, sou formada, dedicada à minha dança, SOU profissional e este mês se receber 250€ por um mês de trabalho é muito... e ainda por cima tenho de descontar os "benditos impostos" sem ter direito a nada... só me apetece mandar tudo à merda... 
Estou farta de provar e provar e provar que sou capaz de realizar o meu trabalho dignamente, com conhecimento de causa e depois, vem uma "dita cuja", para um programa de merda, mas com uma audiência inexplicável, fazer uma merda de dança intitulando-se profissional.
Sabem que mais: que vá à merda TODAS estas tipas "profissionais" ou "amadoras", wharever!
Que vá à MERDA quem ainda não percebeu a riqueza ancestral que reside nesta dança.
Que vá à MERDA quem desrespeita o trabalho de bailarinas sérias e qualificadas que têm como missão dignificar a dança.
Que vá à MERDA quem não entende as lágrimas, suor, dedicação, desprendimento, luta, preocupação, em ser bailarino que vive espiritualmente e financeiramente da sua dança.

E depois propõe-me que dê mais espectáculos, realize eventos. Pois é: mas tudo isso sai do meu bolso, tendo só a fé que tenha retorno da bilheteira. E sabem que mais: o último espectáculo que realizei, embora com quase casa cheia, não cobriu toda a despesa investida. "Mas como?" perguntam vocês: porque tudo TUDO custa e ainda se queixam que os bilhetes são caros. 
Vejo na net o apelo à união de todas, que façamos, que lutemos, que..., que... mas relembro que fiz à poucos meses atras, um apelo a toda a comunidade de Dança Oriental. O objectivo era para apoiar comparecendo ao espectáculo que dei com mais colegas, afim de provar aos promotores de shows que a nossa dança é mais que um entretenimento de bar, e no final, muitas de vós foram mas é para o Rock in Rio...
Como me aventurar em mais projectos se ainda estou a pagar o último??  Pedem-me acções, mas desculpem-me, de momento só tenho imaginação para inventar como irei sobreviver o próximo mês e muito provavelmente o outro a seguir. Esta é a realidade.
Por isto e muito mais, EU, embora cansada de tanta merda, continuarei a lutar pelos meus sonhos, aqui, num país que tenta a todo o custo torná-los pesadelos, e só por agora e em jeito de desabafo, digo: que vá tudo à MERDA! 



segunda-feira, 17 de setembro de 2012

RESPEITO pelo menos...


É uma mensagem que não me canso de passar.
Não imaginam, mas nestas alturas de "crise", um dos sectores que mais é penalizado e nunca mencionado é  Cultura. E, consequentemente os Artista e no meu caso os Bailarinos.
Neste momento está a ser critico a situação de muitos bailarinos que se vêem aflitos para continuar a lutar pelos seus sonhos e a vontade é desistir quando a fome - sim! fome mesmo - começa a apertar. 
Parece que o publico em geral não percebe que ser bailarino profissional não é um hobby. É mais que uma profissão, é uma VOCAÇÃO impossível de não exercer mas, que para exerce-la precisamos que nos paguem devidamente e dignamente. Merecemos tal e qual como todas as outras profissões.
Estou cansada que me peçam para dançar de borla, que dê aulas, cursos e workshops de borla, ou que trabalhe por uma ninharia e estou a falar mesmo por meia dúzia de cêntimos... chega a um ponto que é FALTA DE RESPEITO. 
Não digo que não haja situações que realmente não se possa pagar, percebo que estamos a passar uma faze complicada em todos os sectores, mas em muitas e muitas ocasiões é puro aproveitamento. 
Estou a ficar mesmo cansada... não pretendo fortunas... pretendo... reconhecimento... não só de palmas mas também monetariamente falando pois, não consigo pagar a renda, água, luz e gaz com palmas, o meu carro não funciona simplesmente dizendo-lhe "é pá, se podias dar o jeito que és uma ótima bailarina", consigo alimentar a minha alma com elogios mas o meu corpo físico não...
E o que mais me revolta é que se recuso o cachet ridículo que ainda regateiam ou, simplesmente, não quero fazer mais uma borla, acham-me uma diva convencida e pior de tudo: há sempre uma  (como a tal da casa dos "degredos") que não se importa de o fazer talvez, por uma coca-cola e uma tosta mista ou pura e simplesmente para alimentar o seu ego, de graça!!!  
E agora digam-me: uma "bailarina" que aceita dançar nestas condições acham que é uma profissional qualificada??
Mais uma vez, deixo-vos a pensar...

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

OEIRAS - Aulas de Dança Oriental 12/13


Aulas de Dança Oriental - OEIRAS
Época Set.2012/Jul.2013

A próxima época avizinha-se com novidades!!!
Para melhorar as condições de ensino, decidi para o próximo ano lectivo mudar para um espaço diferente e mais acolhedor e, criei dois níveis distintos de aprendizagem.
EXPERIMENTEM!!!!!
Espero por todas vós a partir de 1 Outubro.

Espaço S
(Al. Bonifácio Lázaro Lozano, nº3,  1ºC)

Inicio a 1 Outubro até final de Julho
Segundas Feiras:
Iniciado – 19h às 20h30
Intermédio – 20h30 às 22h
(vagas limitas por nível, não há valor de inscrição)

Mensalidade: 37,5€

OU, caso prefira:
Ano lectivo completo: 337,5€
(valor com 10% de desconto)


Como garantir a sua vaga:
Envie um e-mail – saranaadirah@gmail.com , ou telefone-me (914258256) ou envie-me uma mensagem através do Facebook (procure Sara Naadirah) e indique os seguintes dados:
- Nome
-Idade
- Morada e Código Postal
- E-mail
- Nº de telemóvel
- Nível
e
Efetue uma transferência bancária (avisando-me de seguida que o fez) do valor da primeira mensalidade (mês de Outubro) ou o valor de todo o ano lectivo para o nib:
BES - 0007.0271.00150604809.65



Regulamento:
. qualquer aluno no seu primeiro dia de aulas terá de assinar a ficha de aluno onde lê e concorda com todo o regulamento;

. qualquer aluno, para garantir a sua vaga, terá de efectuar o pagamento do valor da primeira mensalidade ou o valor total de todo ano lectivo, desde o mês que começa à professora Sara Naadirah;

. qualquer aluno fica comprometido ao pagamento - à professora Sara Naadirah - da devida mensalidade desde o mês que começa até ao final do ano lectivo em curso (Julho inclusive, que deverá ser pago 50% em Janeiro e os restantes 50% em Maio) sem excepções ou reembolsos;

. o pagamento das mensalidades deverão ser efectuadas até ao dia 5 do mês correspondente, por transferência bancária (avisando sempre que o fizer) ou em dinheiro à professora, caso não respeite este prazo perderá a sua vaga sem aviso prévio;

. qualquer aluno em caso de lesões físicas ou doença prolongada, devidamente comprovadas com atestado médico, pagará metade do valor total da mensalidade afim de garantir a sua vaga;

. como não haverá valor de inscrição nem taxa para seguro, qualquer lesão física será da responsabilidade do próprio aluno;

. aconselha-se que todos os pertences do aluno permaneçam com ele na aula, em caso de extravio ou perda é da responsabilidade total do aluno;

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

"E a besta é o cão?"

No que mais se fala agora, como se de uma epidemia se tratasse, são os incidentes de ataques de cães.
É uma questão delicada e polémica, mas o que me choca (eu sendo dona de um cão e ter no mínimo dois dedos de testa) é como é anunciada nos meios de comunicação e pior ainda, a cobardia com que é "resolvida". A conclusão que chego, é que hoje em dia é muito fácil matar uma pessoa e sair impune, culpabilizando o cão.
Como é uma matéria que me indigna e revolta, não consigo expressa-la por palavras. Por isso, faço minhas as palavras de Rodrigo Guedes de Carvalho, transcrevendo parte da sua cronica da revista "TVMais" desta semana .
Leiam (aconselho a lerem na integra) e PENSEM!!!

"... Mas basta reflectir um pouco, analisar os recentes incidentes, ou outros mais antigos, para concluir que as situações sem aparente explicação são uma raridade. Normalmente, é o desastre que se adivinhava quando se vêem as circunstancias, ou se pensa na "qualidade de vida" dos cães em causa. Regra geral, pertencem a pessoas que não têm a mínima consciência do que significa serem donos de um animal, muito menos quando se aventuram a escolher as chamadas raças potencialmente perigosas. Ponto básico: se são consideradas potencialmente perigosas, há uma razão para pensar mil vezes antes de optar por elas. Ponto básico numero dois: a expressão "potencialmente" é a chave. Significa que nas mãos de um mau dono, a potencialidade torna-se realidade. Já é do senso comum, mas ninguém parece perceber. Obviamente que um pequeno caniche também pode ter um comportamento agressivo, mas basta pensar no porte de alguns cães para se entender que a "potencialidade de perigo" de uns é porque, quando se chateia, provoca danos terríveis, muitas vezes fatais. E o que vemos, nos casos mais badalados de Agosto? Uma continuada, inacreditável irresponsabilidade de muitas pessoas que têm estes cães. Pessoas que teimam em ter animais sem saberem, ou quererem saber, das noções mais básicas em relação aos animais, no que respeita a respeitarem um líder, sentido de território, stresse causado pela falta de atenção ou exercício, pessoas que não sabem, ou não querem saber, que um cão é essencialmente, o espelho do seu dono, até porque um cão "pensa", à sua medida, que é isso que é suposto fazer, é isso que o dono espera dele. Numa das histórias, os pormenores são tão claros, tão prenunciadores de desastre, que causa uma enorme confusão que o nosso sistema para lidar com os casos continue a ser abater o cão em vez de multar ou prender o dono. Numa das historias, repito, um cão atacou a mãe do seu dono, um ataque que se revelou mortal. Começa-se a puxar pelos pormenores, e o que temos? O individuo tinha escolhido, nada menos, do que um arraçado  que misturava sangue de pittbul com leão da rodésia. E mantinha esta bomba-relógio fechada num apartamento exíguo, de onde o cão raramente saía, para se exercitar, destressar ou socializar. Que surpresa,  que este cão fosse uma pilha de más vibrações, um desastre à espera de acontecer. Mas o que mais me revolta é saber o que vai acontecer, porque é que acontece sempre nestes casos. O animal vai ser abatido, e o individuo, depois de encolher os ombros e assobiar, há-de arranjar outro, que manterá nas mesmas condições. Como todos os outros que procuram cães potencialmente perigosos, com os quais afirmam uma triste, patética e repugnante posição de agressividade perante os outros. É, para muito cobarde, a única forma de se fazerem maus, ou temidos. E isto vai continuar enquanto este tipo de gente não for punida a sério. A solução de mandarmos abater cães não adianta um centímetro ao sentido de civilização."


Deixo aqui uma foto onde estam dois amigos da minha Nikita. Um boxer castanho e um pittbul branco a rir e a socializar completamente submisso... tirem as vossas conclusões.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

O que quero para esta nova época:


A época 12/13 começa hoje, e todos os anos faço um balanço do que foi a temporada passada e o que quero para a nova que se avizinha. 
Assim e depois de meditar sobre o assunto percebi que, ao contrário dos últimos anos passados, neste estou cheia de vontade de recomeçar. Descansei MESMO este mês que passou e sinto-me com uma energia positiva, calma e muito assertiva. 
Sinto-me mais madura para enfrentar o que vem pela frente... com 33 anos e 10 de profissão resultaram numa Sara que pretende defender-se muito mais dos "chicos espertos", da desculpa da "crise" e dos "lobos em pele de cordeiro". 
Acima de tudo quero pensar primeiro em mim.
É verdade... há uma tendencia natural na mulher em colocar-se sempre em último lugar. Não o quero mais. Quero, em tudo que fizer, incluindo a dança obviamente, que seja para o meu bem estar tanto físico como a nível psicológico e espiritual. Quero viver mais tranquila, sem "fretes". Quero muito trabalho dançando e ensinando mas REMUNERADO! Chega de tanta "borla"... de crise... do não posso... Chega de desculpas e falta de vergonha de tantos que gozam e desrespeitam os artistas, principalmente os bailarinos. Nisso serei implacável... uma das minhas missões será sempre dignificar a Dança Oriental.
Quero também este ano que continue a minha luta/missão em ajudar mulheres a serem MULHERES. Ajudar, através da dança, a acordarem as deusas interiores que possuem e perceberem as capacidades divinas que têm. Sempre foi o meu objectivo nas aulas passar não só o lado físico da dança mas despertar para o lado emocional adormecido com que todas veem. 
Estarei de braços abertos para todos que quiserem aprender comigo, quero mulheres (e homens) valentes que se levantam da sua zona de conforto e fazem mais que lamentar. Não lamentem, não critiquem, não se vitimizem... DANCEM!!!! 
Quero dançar, viver, partilhar, amar... esperar o inesperado para quem sabe a magia acontecer e uma boa surpresa acontecer...
BOM ANO!!!