quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Sabem que mais: que vá tudo à MERDA!

É pá desculpem-me (ou não) mas vou desabafar. 
Estou sinceramente farta desta MERDA toda... desde os nossos governantes ao meu vizinho. Dos portugueses e do resto do mundo. Da estupidez generalizada e da ignorância na forma de "chico esperto". Da falta de respeito em tudo que vejo. Do oportunismo barato. Dos que gostam de "cantar de galo" mas são uns cobardes de... merda. Da merda da crise, da merda da troika, da merda da casa dos "degredos", etc...etc...etc...
Sinceramente, há dias que, quando abro os olhos de manhã só me apetece fechá-los de novo... estou farta de tanta baixeza, tristeza, preocupações, contas para pagar, tentar arranjar trabalho não sei bem onde.  Hoje pergunto-me se todo o meu esforço, dedicação, investimento valeu a pena... não sei... só sei que neste momento sinto-me a rastejar por uma luta muito provavelmente inglória. 
Oiço as noticias e é só merda;
Ligo-me no facebook e maior parte é merda;
Vejo o correio e mais uma vez... merda;
E só estamos em Setembro... inicio de época... que merda!

Quero sim continuar a lutar pelos meus sonhos mas a esperança vai-se desvanecendo. Está MUITO, mas MUITO difícil e tenho a certeza que falo também por muitos. Tenho 33 anos e há 10 que trabalho, sou formada, dedicada à minha dança, SOU profissional e este mês se receber 250€ por um mês de trabalho é muito... e ainda por cima tenho de descontar os "benditos impostos" sem ter direito a nada... só me apetece mandar tudo à merda... 
Estou farta de provar e provar e provar que sou capaz de realizar o meu trabalho dignamente, com conhecimento de causa e depois, vem uma "dita cuja", para um programa de merda, mas com uma audiência inexplicável, fazer uma merda de dança intitulando-se profissional.
Sabem que mais: que vá à merda TODAS estas tipas "profissionais" ou "amadoras", wharever!
Que vá à MERDA quem ainda não percebeu a riqueza ancestral que reside nesta dança.
Que vá à MERDA quem desrespeita o trabalho de bailarinas sérias e qualificadas que têm como missão dignificar a dança.
Que vá à MERDA quem não entende as lágrimas, suor, dedicação, desprendimento, luta, preocupação, em ser bailarino que vive espiritualmente e financeiramente da sua dança.

E depois propõe-me que dê mais espectáculos, realize eventos. Pois é: mas tudo isso sai do meu bolso, tendo só a fé que tenha retorno da bilheteira. E sabem que mais: o último espectáculo que realizei, embora com quase casa cheia, não cobriu toda a despesa investida. "Mas como?" perguntam vocês: porque tudo TUDO custa e ainda se queixam que os bilhetes são caros. 
Vejo na net o apelo à união de todas, que façamos, que lutemos, que..., que... mas relembro que fiz à poucos meses atras, um apelo a toda a comunidade de Dança Oriental. O objectivo era para apoiar comparecendo ao espectáculo que dei com mais colegas, afim de provar aos promotores de shows que a nossa dança é mais que um entretenimento de bar, e no final, muitas de vós foram mas é para o Rock in Rio...
Como me aventurar em mais projectos se ainda estou a pagar o último??  Pedem-me acções, mas desculpem-me, de momento só tenho imaginação para inventar como irei sobreviver o próximo mês e muito provavelmente o outro a seguir. Esta é a realidade.
Por isto e muito mais, EU, embora cansada de tanta merda, continuarei a lutar pelos meus sonhos, aqui, num país que tenta a todo o custo torná-los pesadelos, e só por agora e em jeito de desabafo, digo: que vá tudo à MERDA! 



3 comentários:

  1. Olá Sara! Vim até esta página para ter a oportunidade de não escrever no Facebook! Fiquei aprensivo, não com a palavra merda, porque já nem tem o peso suficiente para adjectivar seja o que for, mas pelas palavras escritas de uma forma tão amargurada e sem esperança de concretizar os sonhos. Como é óvbio, não consigo compreender o seu desespero, porque me é impossivel comprender uma coisa que não vivi. No entanto, entendo. Entendo, por conhecer outras pessoas noutras áreas da cultura, também profissionais, e neste país quem não tem padrinhos ou cunhas, está na merda! No entanto creio, que quem não se vende, ou seja, não torna o seu talento ao sabor de gostos mais "Pimba", mais tarde ou mais cedo, vai surgir com todo o reconhecimento que tem direito. Embora não a conheça muito, acredito que tem garra e determinação para ultrapassar esta fase. Vi alguns vídeos seus no YouTube e confesso que não gostei. Claro que me estou a referir á qualidade da "filmagem". Fica aqui o desafio. Quer tentar uma coisa melhor, para promoção do seu trabalho? Fico a aguardar! Beijinho Grande! Agostinho Rodrigues

    ResponderEliminar
  2. Olá Agostinho,
    as minhas palavras residem revolta e cansada de estar calada a assistir tudo de camarote. A minha esperança continua e lutarei SEMPRE pelos meus sonhos embora a viver num contexto que sufoca e parece mal dizer o que digo.De vez em quando tem de se dar um grito, e este post foi exatamente isso.
    A minha geração (e outras, claro) está a sofrer horrores com toda esta "crise" e tudo aceita... só quem está na pele SABE exatamente o que eu e outros artista passam na realidade.É no minimo revoltante e frustante.
    Agradeço profundamente as suas palavras de solidadriedade. Sei que estou no caminho certo, não sedendo à futilidade generalizada... mas custa... e muito.
    Um grande abraço e lembrar-me-ei das suas palavras quando me convir.
    sara N.

    ResponderEliminar