segunda-feira, 23 de março de 2015

Dare to Dream



Há momentos que acho mesmo que sonhei muito alto ou eles são grandes demais para mim.
Por vezes, não sei se são sonhos ou já pura teimosia. Sempre, desde que me lembro, lutei contra a maré. Não para dizer que sou diferente, ou que tenho algum tipo de missão, ou blá blá blá.... simplesmente lutei sempre contra maré porque esta não me fazia - e ainda não faz - sentido.
O grande problema é que essa maré de "amigos", pessimismos, preconceitos da sociedade, os medos, as culpas, o ceticismo da família, etc... transformou-se, ao longo do tempo, num mar gigante que já não pede licença quando quer engolir-me. 
"A vida é mesmo assim" dizem-me... e sinto cada vez mais o peso desse mar quando AINDA atrevo-me a sonhar. 
Para minha tortura - ou benção, um dia saberei - não consigo deixar de ouvir o meu instinto. A minha alma criativa grita constantemente e eu, ao tentar silenciá-la, retiro-me vitalidade. Então, para não morrer, alimento o meu coração com objetivos que, para todos, é loucura e perda de tempo.
Sinceramente pergunto senão têm razão.
Quem sou eu para lutar contra, neste momento, um oceano?... 
Terei mesmo de lutar contra ou, rendo-me?
Não estarei eu a alimentar o meu ego, não estarei a viver alienada da verdadeira realidade? 
Sinceramente já não sei... 
Continuo, pelo menos por enquanto, a atrever-me a não só sonhar mas, a tentar realizar esses mesmos sonhos. A TERRA ENCANTADA (o meu novo espectáculo que subirá ao palco do Museu do Oriente dia 30 Maio) resume a minha vida, recflete os meus sentimentos, é  a expressão da minha coragem em viver o meu sonho e, é o que neste momento me mantem FELIZ, ESPERANÇOSA e LIVRE.
Perguntou-me ontem a minha mãe: para quê te metes na realização desses espetáculos...? De que é que te vale?
E eu respondi: porque é o que me faz sentir VIVA.
Ainda é essa sensação de me sentir viva (nem que seja por meros momentos) que faz com que enfrente o tal oceano e pior que ele: a minha própria e complexa mente. Que complicado é domesticá-la. Acreditar que é possível: esse é mais outro oceano....





sexta-feira, 6 de março de 2015

Terra Encantada . 30 Maio . 21h30 . Museu do Oriente

Muito em breve, o meu novo espectáculo subirá ao palco do auditório do Museu do Oriente, para uma noite inesquecível.
Este será - assim o sinto - o meu melhor show até agora. Vai ser diferente, profundo, experiente, simples mas original.

Terra Encantada, assim se chama...

Trata-se da visão de um viajante curioso que nas suas deambulações pelo mundo encontra um local misterioso, com uma energia diferente de tudo que viu.
 Aí, é surpreendido por uma invulgar bailarina que, com as suas irmãs, irão envolve-lo com as suas danças carregadas de memórias e sentimentos. Segredos serão revelados e ele deslumbrado, render-se-á aquela Terra Encantada. 



Claro, que não estarei sozinha. Contarei com a participação valiosa de queridos colegas que, com os seus talentos, abrilhantarão de forma memorável todo o espectáculo:


. Emanuel Vicente, será o viajante curioso, divertido e original.


. Yolanda Rebelo, uma das minhas irmãs, que com os seus sagat`s seduzirá.


. Judite Dilshad, que, com a sua tribo mostrará o lado misterioso desta terra.




. Grupo Dança Atitude, e os seus véus mágicos darão cor e alegria.



Eu, prometo, apresentar uma dança original, muito minha, muito singular... 
Um espectáculo meu e destes artistas, para TODOS que querem encantar-se com a Dança Oriental... e não só!