quarta-feira, 14 de março de 2012

Também vivo dos meus honorários!


Com toda a razão!!! Estudaram, estagiaram, trabalham, dedicam-se e assim merecem os seus devidos honorários.
E as bailarinas não?
Ora vejamos:
. temos a coragem de querer aprender, sem ninguém nos obrigar, muito pelo contrário, muitas vezes dizem: "para quê?!! Não há futuro nenhum nisso...";
. fartamo-nos de investir quer fisicamente, psicologicamente, espiritualmente e financeiramente durante toda a nossa carreira (vai muito para lá dos 5 anos académicos + mestrados + doutoramentos + pós-graduações e estágios);
. dedicamo-nos de corpo, alma e muito mais... sem estar à espera de recompensas;
. trabalhamos 99% sem um mínimo de condições;
. fazemos o melhor quer a nível técnico e artístico em qualquer espaço e ambiente;
. lesionamo-nos mas continuamos a actuar e a ensinar;
. etc..., etc...
E no final ainda acham que nos pagam muito pelos nossos honorários!!!!
Não é muito, é o devido como se paga a qualquer profissional digno da sua área!
Uma profissional de Dança Oriental digna do nome, não faz uma dancinha, com umas roupinhas incluindo o lencinho da loja do chinês. Não desenrasca uma musiquinha simplesmente abanando as anquinhas.
Ela cria ARTE, a full time, e como todos os artistas merece (no mínimo) RESPEITO pelo seu trabalho quer a ensinar, quer a actuar, quer a criar.

TAMBÉM NÓS VIVEMOS DOS NOSSOS HONORÁRIOS!!!

quarta-feira, 7 de março de 2012

Nos Meus Sonhos

Sara Naadirah apresenta:
Espectáculo de Dança Oriental 

 “Nos Meus Sonhos”


26 Maio - 21h30 – Auditório do Museu do Oriente

 “Nos Meus Sonhos há: Alegria, Dor, Loucura, Amor… irei dançá-los, materializando-os através da expressão do meu corpo, através da arte que é a Dança do Oriente.”

Artistas Convidados:
Yolanda Rebelo
Baltazar Molina
Cris Aysel
Carole Lopes

Grupo de Dança:
Ana Moreira
Claudia Figueiredo
Catarina Branco
Inês Branco


Bilhetes à venda no Museu do Oriente e na Ticketline – 12€
Avenida Brasília, Doca de Alcântara (Norte)

1350-352 Lisboa

Tel.: 213 585 200

terça-feira, 6 de março de 2012

Porquê o nome NIKITA


Porque é o nome de uma guerreira, de uma sobrevivente, de uma lutadora, de uma corajosa tal como a "dona".
Porque ao contrário de todas as expectativas, este ser conseguiu viver, separa-se da mãe, passar pelo  abandono num canil, ser resgatada pela FUNDAÇÃO S. FRANCISCO de ASSIS (excelente espaço onde recolhem animais abandonados ou de outros canis e tratam com o devido respeito e amor) onde permaneceu durante 15 dias, à espera de ser adotada.
Porque é o nome para um ser especial como ela, tal como a lendária super agente russa Nikita que sempre me fascinou e admiro.
Porque vai ser (já é) uma grande companheira.


segunda-feira, 5 de março de 2012

A minha cadelinha: NIKITA

Desde que me casei, que o meu marido queria que adotasse-mos um cão. Eu, por ter um medo cármico de cães sempre recusei... até ao inicio deste ano.
Agora que adotei uma cadelinha de 3 meses, vejo que será ela a ajudar-me a ultrapassar certas fobias e medos que trago dentro de mim. Adotá-mo-la como parte integrante da nossa família mas foi ela que nos escolheu, desde o primeiro contacto, através de uma química energética que não sei explicar nem definir.
Está há três dias connosco e é incrível a capacidade de aprendizagem que tem. Astuta e perspicaz, reage a toda a energia e atitude que lhe transmito, atravez da minha postura numa linguagem corporal. 
Embora me dê trabalho, dá-me objectividade e sentido de responsabilidade. Embora exija de mim, em troca dá-me afecto num amor incompreensível e incondicional. Obriga-me a viver o agora, a reagir e a saber liderar. ADORA-A, e sem lhe dizer, ela sabe disso...