Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2009

Home Sweet Home

De novo em casa...
Já tinha saudades, mas agora que aqui estou tenho vontade de voltar a sair. Bolas... nunca estou satisfeita! Também chego e começo logo a limpar, arrumar, cozinhar, lavar e tudo o que acaba em ar... não há paciência... detesto os trabalhos domésticos, mas como sou fanática em ter tudo limpo e arrumado... ponho logo mãos á obra.
Estão espantados?! Pois é, se pensam que a minha vida é um glamour de estrela de cinema, enganam-se!!! Em Portugal uma "estrela"da dança não ganha o suficiente para para ter uma "BIMBY" versão doméstica. Sim, faço tudo que uma dona de casa faz, e acho que até bem feito, mas odeio! Enfim...
Tirando esse pequeno grande pormenor, ao chegar de novo, chega também o retomar de tudo o que deixei pendente e pior ainda: a rotinazinha, que é outra coisa que detesto, fazer sempre o mesmo todos os dias. Se isso acontece, começo a ficar histérica, nervosa e insuportável ( o meu marido que o diga) e foi isso mesmo que aconteceu logo no se…

O Badoca Safari Park

Não vos posso deixar de falar de um parque que visitei duas vezes e que me fascinou: Badoca Safari Park: é um parque no litoral Alentejo, que alberga animais selvagens em completa liberdade (dentro dos limites do parque claro!) e que nos proporciona um dia mágico perto deles.
Fiquei encantada com a temática particular deste parque (muito diferente de um jardim zoológico normal) e da maneira como os animais lá são tratados. Embora estejam em cativeiro, estes animais são respeitados e extremamente acarinhados por todos os tratadores que lá trabalham.
Tenho de destacar três actividades das muitas que nos proporcionam:
- A Alimentação dos Lémures ( uma espécie de primatas de Madagáscar) - adorei ter a oportunidade de "entrar" no espaço deles e poder ter o privilégio, de eles virem á minha mão, comer. São animais amorosos, curiosos e muito sociaveis, bem melhor que muitos da espécie humana.
- O Safari - muito, mas mesmo muito divertido! Entramos numa espécie de comboio atrelado a u…

Agora é que descobri o verdadeiro paraíso

Menti-vos!
No outro dia, estava eu a alimentar o meu vício, lendo uma revista cor-de-rosa, quando deparei num artigo: Tal famoso artista gasta 2000€ por noite num resort em Porto Santo. Pensei: "deve ser lindo lá... era bom era...".

Pois é! Perdi a cabeça, e achei que também eu (também artista, mas não famosa a ponto de sair nas revistas) merecia ir para um resort e fui com o meu Amor para um que abriu á pouco mais de um mês.
Digo-vos que, agora é que encontrei o paraíso e ele chama-se: ZMAR Eco Camping Resort. Um parque de campismo totalmente ecológico.
Só tenho uma palavra para o descrever: FANTÁSTICO!!!!!!!!!! Como um verdadeiro resort tem: hotemóveis (um mimo); chalets (engraçadíssimos); Balneários e WC completamente equipados (um luxo); piscina interior de ondas (divertidíssimo); piscina exterior (que belas braçadas dei lá); zona aventura (aqui ia "morrendo"muito difícil mas diferente); supermercado (carote); restaurante take away (aqui não resisti e quebrei a minh…

Terei sido uma "cigana"?

Eu acho que noutra vida devo ter sido ou cigana, ou pertencia a alguma tribo que saltava de terra em terra! Eu gosto, ou melhor eu ADORO viajar, conhecer culturas novas ou simplesmente estar noutros locais que desconheço, mas se há coisa que AMO fazer no Verão é acampar! E este não foi excepção. Para mim acampar significa voltar às minhas raízes, sentir o vento, o sol, a chuva sem ter paredes, sentar e dormir no chão, pisar de pé descalço a terra, ouvir a Natureza... tenho tal necessidade disso, como se a minha Alma implorasse esse retorno. O facto é que passando uns dias em (quase) pleno "estado selvagem" sinto-me renovada, com as baterias recargadas e inspirada para mais um ano de dança... Mas, bom... quando digo "estado selvagem" não é bem assim... tenho algumas condições e luxos que não prescindo, claro!!! Ora bem: tenho de ir para um parque de campismo 5 estrelas, tem de haver casas-de-banho e limpas (acho que não preciso de dizer mais nada), restaurante ou ref…

Quando o que mais tememos acontece quando menos esperamos

A Vida realmente tem um poder de nos surpreender, que por vezes é inacreditável.
Vou-vos contar o que me aconteceu ontem:
Estou de férias, a acampar no meu parque de campismo favorito (num outro texto descreverei o meu dia a dia desta cigana), deitada na minha tenda, quase a dormir a minha sexta antes do jantar, eis que o telemóvel toca. Pensei ser os meus pais a ligarem-me (pois já os tinha ligado 500 vezes mas sem sucesso), estava á espera que me retornassem a ligação a fim, de me confirmarem que tinham chegado a casa do meu avô, onde iam passar alguns dias, em Seia, na Serra da Estrela. Era realmente, como esperava, o meu pai:
Eu (deitada e sonolenta) - "oi... então já chegaram?"
Pai (com uma voz esquisita) - " já chegamos... (em tom irónico) olha, telefona aos pais do Fernando (o meu marido) se podem vir ter ao hospital de Santarém."
Eu (despertando e pondo-mo sentada) - "Hospital? Mas porquê? O que é que aconteceu?"
Pai - "Tivemos um acidente..."…

As Minhas Memórias - 1ªparte - A infância, o meu desejo de ser bailarina

Não tenho muitas recordações da minha infância, o que guardo comigo são breves flashbacks de situações que de alguma forma me marcaram. Em geral, posso dizer que os meus primeiros anos de vida foram excelentes! Era uma criança alegre que tinha a bênção de ter os meus pais junto comigo, que me proporcionavam uma mão cheia de mimos e atenções. Tive também uma ama, uma jóia de pessoa, que me mimava mais que os meus pais, e que cedo percebeu a minha “queda” quase obsessiva em gostar de ouvir música.
Segundo me contam, gostava de toda a música para crianças, mas havia uma em especial que falava em camelos (não sei se se recordam), que simplesmente adorava (será que era uma premonição?). Havia também um tipo de música ou melhor, um cantor que eu era completamente fanática, imaginem qual? Não imaginam! Pois eu digo-vos, mas prometam-me que fica só entre nós: eu por volta dos dois, três anos de idade era completamente apaixonada pelo Roberto Carlos!!! Pois é! Não se riam, por favor!!! Grandes …

As Minhas Memórias - Introdução

Há anos que não escrevo!
Nos meus tempos de faculdade escrevia (muito pouco confesso) e desenhava como forma de libertação. Libertação de tudo o que sentia, que não conseguia expressar de uma outra forma. Como pouco falava e muito poucos amigos tinha, era na escrita e no desenho que exteriorizava o que pensava e sentia.
Entretanto, descobri que dançar, produzia o mesmo efeito de quando escrevia ou desenhava. Através de um longo e difícil processo, percebi, na Dança Oriental o poder de não só conseguir “deitar cá para fora” aquilo que me aprisionava, mas percebi que havia também um processo de cura, sentia uma paz interior, uma certeza que não havia experênciado em nenhuma outra forma de expressão.
Tinha descoberto, ou melhor redescoberto o caminho que iria seguir na minha vida: ser bailarina, mais que uma profissão seria a paixão da minha vida…

Decidi escrever estas memórias, também, por três razões específicas:
1º - É um desafio para mim escrever, e eu ADORO desafios (como poderam ler no …

O meu novo desafio...

Devo confessar que não sou adepta nem fanática de tecnologia. Mas também confesso que cada vez mais estes "bichos urbanos" - telemóveis, pc, plays... - vão tomando conta do nosso dia a dia, de tal forma que parece, como se nunca tivesse- mos vivido sem eles.
Sempre disse que não iria aderir a estas "modernices" de blogs, sites, mails, facebooks, etc... pois nunca me apeteceu perder tempo agarrada a estes bichinhos, mas, aqui estou eu a escrever o meu primeiro texto para o meu blog, totalmente criado por mim! Sem nenhuma espécie de ajuda dos "cromos" que falam línguas estranhas e que vivem no planeta da tecnologia. Fiquei surpreendida comigo própria, foi mais fácil que ir ao dentista...
Como devem ter lido no meu perfil, sou inquieta por natureza, andando sempre á procura de algo que me desafie, e a ideia de ter um blog desafia-me de duas maneiras:
1ª- obrigou-me a enfrentar esta "fera", que sempre evitei, que é este novo meio de comunicação. Há u…