quinta-feira, 29 de abril de 2010

Comemorações e/ou hipocrisias?

Quem me conhece sabe que sou directa, sincera e honesta. Já perdi muito por não conseguir ser cínica, e há quem ache que sou muitas vezes indelicada naquilo que digo e/ou pense. Simplesmente detesto fingimentos, o politicamente correcto, o abraço dissimulado para depois nos apunhalarem pelas costas. Como diz uma colega minha: se fosse burra, estúpida e hipócrita as coisas eram muito mais fáceis... mas não sou! Graças a Deus! E assim, as dificuldades, os obstáculos, as decepções são lições de vida que me tornam forte e cada vez com menos receio de desafiar-me e aceitar o que a Vida me traz.
Digo isto porque acho, muito sinceramente, o dia da dança uma tremenda hipocrisia... como o dia da mãe, pai, trabalhador, mulher, periquito, etc...
É só nestes dias que se lembram de "comemorar" o facto de ser mãe, pai, mulher? Quantos milhares de mães, mulheres, pais, trabalhadores precisavam de uma ajuda real, todos os dias, e não um só dia, que é simplesmente "comemorativo".
Assim é igual o dia da Dança. Hoje todos comemoram dançando, que é excelente!
Muitas pessoas lembram-se que há muito não dão um pezinho de dança, outros decidem que é agora que vão começar, outros recomeçar, é uma festa na televisão, mostram bailarinos, companhias de dança, escolas... lembram como é importante dançar, como é uma Arte tão velha quanto o próprio Homem, enfim... tudo dança... fantástico... mas amanhã a dura realidade e luta de muitos bailarinos talentosissímos sem trabalho e sem oportunidades continua.
Preferia mil vezes não haver o dia da Dança e em vez disso haver uma real ajuda e reconhecimento do sacrifício e dedicação cega que milhares de bailarinos tem às suas artes. Que não só num dia lembram-se de dançar, mas que lutam diariamente pela dignificação, criação e ensino das mais variadas disciplinas da dança, sem ajudas nem apoios, simplesmente porque amam Dançar... não só no dia 29 de Abril.
Esta é a minha opinião verdadeira, não é o que é politicamente correcto... mas é o que sinto...

2 comentários:

  1. Por acaso acho graça a este dia, simplesmente porque as escolas de dança fazem workshops "de borla", coisa que não fazem durante o resto do ano. A maior parte das pessoas certamente experimenta porque não se paga e depois não volta a pensar no assunto (é típico do portuguesinho). Mas acredito que existem pessoas que experimentam e acabam por gostar e se inscrever.

    Claro que tenho noção que as escolas de dança só fazem isto para angariar alunos e não por se ralarem mesmo com a coisa, mas gosto da iniciativa.

    Quanto à hipocrisia...é o que mais há nos dias de hoje. Há que saber dar-lhe a volta ou ignorá-la. Eu prefiro ignorá-la. :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Concordo perfeitamente..
    Acho que as comemorações nesses dias não valem nada, é como no Natal algumas pessoas só pensam ajudar as outras no Natal. e porque não nos outros dias? Só no Natal e nesses dias é que a maior parte das pessoas se lembra que isso existe...
    No Dia da Dança mostram montes de coisas, bailarinos profissionais e tudo , mas não se lembram que esses bailarinos se esforçam todos os dias para chegarem onde chegam e vão continuar a fazê-lo para ir mais longe...
    Mas não no dia da dança é que mostram tudo e mais alguma coisa relaccionada como nos outros dias.
    Acho que essas pessoas que criaram os dias , foi mesmo só por criar, porque não pensaram que nos outros dias do ano tudo existe á mesma a mãe, o pai, a criança, a dança... Tudo existe mesmo sem um dia especial..
    Concordo muito consigo naquilo que diz..

    Beijnhus
    Sara Biscainho..

    ResponderEliminar