sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Cisne Branco / Cisne Negro

Por vezes (e não poucas) desejaria ser uma pessoa "normal".
É cansativo ser EU.
Neste inicio de ano, tenho andado a travar uma batalha entre o meu "cisne branco" e o meu "cisne negro". Como é uma guerra interna e espiritual, não haverá vencedores, mas sim, espero entrar num "acordo" entre estes dois meus cisnes e encontrar um equilíbrio que tanto a minha sanidade mental precisa.
Maior parte do tempo estou na versão cisne branco, ou seja, estou bem, calma, com um positivismo e sensação de paz e serenidade, totalmente controlado. Mas, quando surge a minha versão de cisne negro, tudo muda. Fico negativa, zangada, não acho piada e ninguém me pode dizer nada. Fico frustrada com tudo e todos questionando tudo... é tão descontrolado que tenho medo dele!
Quando este surge, a melhor maneira que encontrei para lidar com ele, é retirar-me, ficar sozinha e em silencio o maior tempo possível, afastando-me e reflectindo sobre a minha vida. São períodos difíceis que tento ultrapassar sem medicações, sendo a minha única terapia a meditação e a dança que faço para mim própria e não para o publico.
Era bom que estivesse sempre no cisne branco onde tudo parece, repito parece, que tudo está bem, iludindo-me a mim própria com uma sensação de perfeição e controlo. Embora difícil de lidar, dou graças a Deus, que me aparece o cisne negro para me chamar a atenção e consequentemente impulsionar a minha vida para o destino que me pertence, não ficando estagnada.
Ele é o meu "abre olhos" que faz com que seja imperfeita, inconformada, realista, mas perigosamente impulsiva e solta.
Equilíbrio entre eles os dois é o que eu procuro, pois nem tanto ao mar e nem tanto à terra, preciso dos dois para viver nesta sociedade, neste mundo e para ser EU.
Para isso, percebi que nada controlo, que muitas vezes luto contra a maré errada, que tenho gasto energia com guerras perdidas, que tenho estado com os ouvidos tapados. Que muitas vezes pensamos que o melhor para nós é isto mas na verdade é aquilo. Então, agora baixei os braços e irei deixar o Destino, Deus, a Energia Universal me conduzir. Vou é estar, simplesmente atenta, com os meus cinco sentidos bem apurados, fazendo só aquilo que me apetece e quero, ouvindo o meu instinto que é a voz directa do Universo, bem mais sábio que eu...
Claro que não é simples e estou muito cansada... seria bem mais fácil ignorar tanto o cisne branco como o negro e ser um pato, uma pessoa considerada normal para esta sociedade, fazendo tudo o que é suposto. Enchendo-me de comprimidos para apagar os meus sentidos e afogar-me em comida para apazigua-los, transformando o pato em patê... seria bem mais fácil... mas sou uma artista, e só consigo por carisma na minha arte, transcendendo-me através de um processo de evolução interna. Tenho mesmo de passar por tudo isto... tem mesmo de ser difícil... que Deus me dê força...

PS: aconselho a todos a ver o filme "Black Swan", fantástico!

1 comentário:

  1. Querida Sara,
    nas tuas meditações, sugiro que reflictas no seguinte:
    - Controlo e perfeição não existem, isso vai levar-te sempre à desilusão.
    Não controlamos o que nos rodeia, tentar fazê-lo é gastar energia desnecessariamnte.
    O ego surge com cisne negro.
    Que tal em vez disso do controlo, valorizares o livre-arbítrio? Temos esse DOM maravilhoso que nos permite escolher como queremos reagir em cada situação, é o "empowerment" na tua vida pessoal.
    - Em vez da perfeição, valoriza o momento presente, o percurso que trouxe até ele. Define um novo objectivo atingível para te saciar.
    - Actualmente, muito é exigido à mulher.
    Tem de ser boa mulher, boa profissional, boa mãe, tem de estar sempre impecável (e por aí fora).
    Frequentemente, (generalizando) as mulheres dão tanto tempo e energia a outros, que se esquecem de dedicar tempo e energia a si próprias e depois começam a ficar irritadiças, rabugentas e aborrecidas.
    Vê se tiras tempo para dedicares a ti.
    Analisa o teu tipo de diálogo interno, muitas vezes este pode ser alterado pois não te está a ajudar.
    A nossa forma de encarar as coisas muda tudo e é isso que começa logo por facilitar ou não a situação.
    É fundamental investir na evolução pessoal. Aprender para aplicarmos em nós. É possível modificar padrões de pensamento.
    Não te digo que estarás sempre feliz, mas digo-te que podes fundir os cisnes e encontrar o equilíbrio. Consegues reduzir o tempo em que estás para baixo, porque tomas o controlo pelas tuas decisões e dás a volta por cima.
    Sempre que queiras falar, obviamente que o que falamos fica entre nós, como faço quando falo contigo.
    Abraço grande (maior do que o meu comentário :), que reescrevo pois isto foi abaixo.

    ResponderEliminar