quarta-feira, 16 de março de 2011

É sempre uma escolha...

Viver é também, saber escolher.
Se analisarem, temos sempre duas hipóteses de "caminho": podemos seguir A, B ou até mesmo inventar uma C.  
Na busca da opção racionalmente mais certa, pensamos demais, receamos demais, reclamamos demais, imaginamos demais, desencorajamo-nos demais, orgulhamo-nos demais!
E se adicionássemos a voz do nosso instinto? Optamos ouvi-la, ou simplesmente cala-se num amontoado de sons externos, provocados já por uma formatação social estabelecida, óbvia e esperada?
Eu penso que, é nas escolhas mais instintivas que fazemos no quotidiano, que nos torna pessoas mais felizes ou infelizes.
Por isso:
Eu escolho estar alegre, mesmo quando tudo esmorece.
Eu escolho rir quando o cenário é para chorar.
Eu escolho amar quando apetecia odiar.
Eu escolho humildade quando o orgulho tenta prevalecer.
Eu escolho ter esperança quando não parece have-la.
Eu escolho não irritar-me quando me chateiam.
Eu escolho falar mesmo quando me viram as costas.
Eu escolho ir em frente mesmo que tenha de inventar o caminho.
Eu escolho ouvir a voz do meu instinto mesmo quando ele fala baixinho.
Eu escolho no meu no meu dia a dia estar bem, tirando o máximo prazer em tudo que faço, aprendendo em cada situação.
Eu escolho sempre ser feliz... mesmo que, para isso, não opte pelo caminho mais óbvio... mesmo que não agrade a todos... mesmo que "desamigue" muitos "amigos".
Eu escolho ser eu mesma... não é fácil... mas é uma escolha!

1 comentário:

  1. Oi Sara :)
    partilho a escolha de vida e o conteúdo do post de hoje.
    Socialmente criam-se muitos "monstros papões", agora é o da Crise económica que mais se fala. Sim, estamos em crise, é real e temos de sair dela, mas não temos de paralisar por medo e vivermos aterrorizados pelo amanhã.
    Não devemos temer o desconhecido, é nesta altura que a minha Vida está a mudar porque escolhi fazê-lo, é tudo menos racional, mas sinto que é o caminho certo e isso faz-me feliz. Quem me apoiar, muito obrigada. A quem me tentar demover, não vale a pena, não me vão "enfiar minhocas na cabeça", acredito que o meu passo no desconhecido é o passo certo e fazermos o que nos apaixona e podermos viver e receber o que merecemos é importante! É muito importante termos amor na cama, paixão no trabalho, comida na mesa e dinheiro na conta, paz e saúde para viver isso em pleno.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar