quinta-feira, 6 de novembro de 2014

A Minha Marca

Sempre quis, desde o primeiro momento que decidi aceitar o meu destino que é ser Bailarina - e, de Dança Oriental - marcar uma posição, definir uma imagem, autenticar a minha dança, criar uma assinatura que refletisse uma marca. A minha marca.
E, depois de 11 anos, creio que estou no caminho certo. Pelo menos o objectivo nunca foi tão claro.
Com muito orgulho, quando alguém ouve o meu nome, ou se interessa pela meu trabalho já sabe o que esperar:
Profissionalismo e Originalidade, com um toque de loucura mas SEMPRE dignificando a Mulher e a Sagrada Dança que faço.
Não sou conhecida por ser especialmente simpática. Não sou popular, comercial. Não vivo para agradar os outros. Vivo para me agradar acima de tudo. Egocêntrica? Não... fiel a mim própria. Esta é a maior dádiva que a Dança Oriental me despertou e me lembra todos os dias. Permitiu-me conhecer e aceitar-me profundamente.
A minha marca:
Dizer (e escrever algo que cada vez gosto mais) e Dançar a minha verdade tal como a sinto e testemunho com todos os meus sentidos, sem falsas moralidades, sem ser politicamente correcta, sem negociações.
Se é difícil ser assim? Claro que é! Mentir-me seria o caminho mais obvio, fácil, socialmente aceite. Mas, nunca foi assim e cheira-me que nunca será. 
A tua marca, qual é?





2 comentários:

  1. Oh, podes ser muito reservada no início, mas quando tens confiança até não és má de todo! :P

    A minha marca? Não faço ideia... Acho que ainda nao encontrei nada em que faça realmente a diferença.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O teu blog e o teu trabalho como designer já é uma marca... ;)

      Eliminar