Avançar para o conteúdo principal

Lições de Vida e de Dança IV - Simplicidade

Como conseguem?
07/01/2014 
Como é que ninguém se lembrou de estudar os cães? São eles que têm o segredo da felicidade.
No dia das tempestades dois cães corriam, doidos de tão contentes, pela praia. Perseguiam as farripas de espuma do mar. 
Ao restaurante onde estávamos a almoçar chegaram dois amigos com dois cães igualmente bem-dispostos. Com uma sincronia olímpica estavam os dois a sorrir e a olhar fixamente para os donos. "Estão na expectativa", explicaram-nos. E era verdade. 
Acreditavam que, no futuro imediato, haveria petiscos para eles. Estavam com as duas pessoas de que mais gostam no mundo, à espera de comer qualquer coisita boa. Como é que não poderiam estar optimistas?"Nós não somos assim", disse um dos seres humanos. Pois não. Nós somos neuróticos. 
Pensamos sempre que poderíamos estar melhor: poderia ser Verão; poderíamos ser mais novos; poderíamos ter mais tempo para estarmos uns com os outros. Os cães nunca pensam nessas merdas. Não perdem tempo ou energia mental a contemplar alternativas. Estão cem por cento no aqui e no agora. Acham que as condições actuais são excelentes, que têm imensa sorte de estar ali e que tudo indica que as coisas ainda vão – inconcebivelmente – melhorar. 
Como é que ninguém se lembrou de estudar os cães? São eles que têm o segredo da felicidade. Sabem amar como ninguém e fazem a festa toda com os pequenos gestos de amor que recebem das pessoas que amam. Duas gaivotas palermas divertiam-se a desafiar a ventania, fingindo que estavam imóveis, suspensas por dois fios. Desprezavam a alegria dos cães. Mas faziam mal.
Este simples texto de Miguel Esteves Cardoso, retrata o que vejo todos os dias com a minha cadelinha Nikita e com todos os cães que convivo diariamente.
SIMPLICIDADE gera FELICIDADE. Estes seres, que para mim são anjos na terra, ensinam-me regularmente estes conceitos tão básicos e universais que são esquecidos e distorcidos. 
Porque é que temos a mania de complicar tudo?! Porque é que nunca estamos satisfeitos?! Porque é que julgamos que sabemos tudo?! Porque é que a "galinha da vizinha é sempre melhor que a minha"?! Porque é que exigimos a ilusória perfeição?! Porque é que a dança que fazemos nunca está bem?!... Porque é que...
Porque é que SIMPLESMENTE não gozamos cada minuto, sem estar sempre no sofrimento de nos (pre)ocupar com futuro. Sempre com o passado na mente (e na Alma) assombramos o presente. Porque é que não usufruímos mais cada movimento, agradecemos cada inspiração, deliciamo-nos passo a passo. Homenageamos a VIDA.
É SIMPLES estar bem. É uma escolha. É na SIMPLICIDADE de uma dança que está o poder de encantar e encantarmo-nos. É na SIMPLICIDADE de deixar o nosso coração expressar-se através dela (dança/movimento) que geramos AUTENTICIDADE, CARISMA e CRIATIVIDADE. É na SIMPLICIDADE de escolher a intuição ao invés da razão que mostramos SABEDORIA.
É tão simples... agradecer, pensar, orar, sentir, curtir, escolher AMAR. É tão simples... na VIDA e na DANÇA, a SIMPLICIDADE gera PAZ. 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

E assim Nasceu... uma MÃE.

Ela dorme profundamente. Está silencio e, só agora, passado oito meses desde o nascimento da minha filha é que consigo - FINALMENTE - sentar-me com calma ao computador e retomar o blog. Não escrevo desde Junho. Não consegui. Disse que o voltaria a fazer em Novembro passado... antes de ela nascer disse tanta coisa... pensei tanta coisa... e já se passou tanta coisa. Precisei de tempo. Tempo para criar alguma distancia e assim ter capacidade de raciocínio e destreza emocional para este post. É um texto que me é difícil, mas que me exigi escrevê-lo. Escrevo-o para mim, para recordar, arrumar pensamentos, acalmar sentimentos e para pôr em palavras como foi e como é esta minha nova vivência. Ao partilhá-lo espero que chegue ao coração de muitos e à alma de de quem é mãe.
Eu demorei 36 anos a querer ter um filho. Nunca entendi o tal "relógio biológico a dar horas"(aliás, ainda hoje não percebo o que isso é) e desejo de engravidar. Muito pelo contrario! Fugia "a sete pés" de…

O meu querido mês de Agosto

Há muito que não tinha umas férias tão revitalizantes como estas últimas. Eu adoro o mês de Agosto. Não só por começá-lo com o meu aniversário, mas porque também marca o inicio de uma nova etapa e um novo ano com mais desafios. Partilho convosco os meus pontos altos: . Dormi, dormi, dormi e... dormi! Consegui pôr o meu sono em dia, apesar de me levantar sempre cedo para ir para a praia ou simplesmente passear. Não há nada como dormir numa tenda com o meu marido e cadelinha rodeados de natureza e o som do mar, fazer grandes sestas ao som do vento a passar pelas folhas das arvores. É mágico... . Estar sempre com a Nikita na praia. É fantástico... o que me diverti e o que ela nadou!! Apesar de ter de andar quilometros para ir para um local da praia quase deserta, valia a pena estarmos sozinhos e completamente à vontade. . Ter desligado o telemóvel e pc! Dar só atenção ao meu marido e ele a mim... foi otimo... . Ter comido o que me apeteceu à hora que queria, sem o minimo de restrições! Que bo…