terça-feira, 17 de setembro de 2013

Dez anos, dez ciclos

Foi há precisamente 10 anos que comecei a actuar e a ensinar, aquela que viria a ser a paixão da minha vida: Dança Oriental.
Dez anos... dez ciclos... que dariam dez livros, dez lições de vida, dez intensas experiencias que não trocaria por nada.
Há dez anos atrás, contra tudo e todos (literalmente), extremamente ingenua mas com uma força que desconhecia, decidia: QUERO FAZER AQUILO QUE GOSTO.


E fiz. Decidi agarrar a minha vida, tomar e responsabilizar-me pelas minhas opções, sempre como guia o meu coração e a minha intuição. 
Claro, que não foi o caminho mais obvio e esperado. Ser feliz requer coragem e personalidade. Foram sim dez anos duros, dez ciclos sem rede e dez amadurecimentos. Ser bailarina (por vocação e não por vaidade) é isto... foram dez danças viscerais, dez improvisações profundas, dez mortes e dez renascimentos.


Depois de umas férias... que diria que foram... desintoxicantes, finalmente, consegui acordar de um estado de zombie que me encontrava.
Recuperei o meu objectivo, refoquei-me e toda a minha atenção será, em primeiríssimo lugar, para uma unica pessoa: EU.
Hoje começa um novo ano, um novo ciclo... não faço ideia do que me espera, já deixei há muito de fazer planos. Na dança como na vida, improviso... mas com uma certeza: estou bem mais otimista que há um ano atras. Sinto-me mais viva e amadurecida que nunca.
Que mais uma época comece e que mais uma dança se inicie: YALLA!!!!


Sem comentários:

Enviar um comentário