sexta-feira, 11 de junho de 2010

O meu pecado capital

Quem normalmente segue o meu blog, deve estar a estranhar nunca mais ter escrito nada.
Pois bem, não tenho escrito nada pelo simples facto de estar mergulhada numa enorme onda de falta de criatividade, por me sentir extremamente cansada, que me leva a um estado de preguiça avassalador.
É verdade! Acho que este é o meu pior defeito: sou extremamente preguiçosa.
Preguiça esta, que se começa a agravar nesta altura do ano em que só penso em férias, praia, em não fazer mesmo nada.
Desde Setembro do ano passado que não paro, tem sido aulas e shows semanais que me têm desgastado ao ponto de esgotar todas as minhas reservas energéticas e criativas.
Aquela máxima que "quem corre por gosto não cansa" é falsa. Corro sim por gosto, mas canso-me sim! E depois de meses seguidos a "correr" posso ser sincera e dizer: estou exausta, fisícamente mas principalmente espiritualmente/emocionalmente, o que faz com que a minha criatividade, tanto para dançar como para escrever esteja, neste momento, em baixo.
Ser bailarina e ter de lidar constantemente com público é maravilhoso mas extenuante ao mesmo tempo. Como já disse muitas vezes, quando danço, não despejo uma série de movimentos, muito pelo contrário, quando danço transmito essencialmente energia, dou aquilo que tenho e muitas vezes aquilo que não tenho, para um público que é sempre desafiante e exigente.
Não pensem que é fácil...
Mas estou estou quase de férias... e até lá ainda tenho muito que dançar... e criar... por isso tenho de sair desta preguiça e continuar.
Alguma sugestão?

2 comentários:

  1. Saídas com amigos, cinemas, passeios, muitos risos e festas costumam resultar! ;)

    ResponderEliminar
  2. Olá!

    É a primeira vez que venho ao teu blog (adorei) e sugiro que simplesmente te rodeies de tudo o que for belo e te possa servir de inspiração: uma flor, um beijo do teu marido, um jantar de Sábado com amigos de longa data (se calhar agora adivinhas quem eu sou).

    De cada coisa bela que passa na tua vida, partilha um pouco da sua energia, dá da tua ao apreciar a beleza do momento e recebe a energia do que te rodeia. Assim ficam ambos mais ricos e dessa riqueza brota certamente um rio de criatividade.

    Da preguiça, aproveita o descanso que tanto bem faz ao corpo como à alma e quando esta estiver cheia, pega na tua energia e escreve, dança, sente, vive, ama.

    Beijocas
    Ana

    ResponderEliminar