terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

A insegurança

Acho que, o meu pior inimigo é a insegurança. Odeio esta palavra, odeio ainda mais senti-la.
Sim. Sou insegura. Há que admiti-lo.
O chato da insegurança é que ela tem vários tentáculos. Um deles é o medo, outro é o pessimismo , outro falta de confiança, entre muitos...e, lidar com este bicho é lixado. Se o alimentarmos ele vai engordar de tal maneira que nos engole e aí... desacreditamos-nos.
Por uma outra perspectiva, o monstro tem outro lado. Um pouco de insegurança torna-nos humildes, lembra-nos que somos humanos, que falhamos, que caímos mas que nos podemos levantar e corrigir os erros. A insegurança também nos faz andar para a frente. Dá-nos coragem e atitude quando tudo e todos à volta nos tornam inseguros.
O curioso é que ela (insegurança) adapta-se e aparece com várias faces. Na face de um amigo, pai, mãe, irmão, namorado, professor... é mesmo lixada.
Como em tudo, onde está o equilíbrio? Como manter a fera bem alimentada mas não gorda demais? 
Será que a conseguimos controlar? Ou o controlo é pura ilusão?...
Para meditar.

1 comentário:

  1. A meu ver a insegurança não deve ser vista como um sinal negativo. Enquanto nos sentimos inseguros é sinal de que nos preocupamos, de que sabemos que não somos perfeitos e de que temos muito para melhorar. :)

    ResponderEliminar