quarta-feira, 2 de abril de 2014

Lições de Vida e de Dança VII - O Poder da Escolha

Não. Não sou nenhuma iluminada. 
Não. Não sou melhor que qualquer outra pessoa.
Não. Não sou nenhuma santa.
Não. Não sou diferente dos demais.
Sim. Escolho sim, seguir o meu instinto quando me diz ir para esquerda quando todos me dizem para ir para a direita.
Sim. Opto por marcar a diferença quando tenho a coragem (há quem confunda com ousadia) de fazer aquilo que digo, sinto, penso mesmo que não seja compreendido ou passe por maluca.
Sim. Danço aquilo que sinto, quando e aquilo que me apetece. Não me faria sentido ser de outra maneira, porque a Dança é a linguagem sagrada de Deus que, quando sintonizada, torna-se ARTE.
Sim. Escolho dar um carinho e atenção a um animal quando o podia ignorar.
Sim. Escolho tentar compreender os outros. Sim. Escolho perdoar, aceitar as minhas imperfeições e os meus limites. Sim. Escolho, mesmo sendo a única a fazê-lo, decidir pelos meus valores.
Tudo é uma escolha... e a escolha do correcto, da luz, do amor, do perdão, da sabedoria, da humildade... é sem duvida a mais difícil, a mais desafiante mas a mais recompensadora.
Não acredito do olho por olho, dente por dente. Não acredito na vingança. Não acredito no egoísmo, no ego, na magoa, no chico-espertismo.
Acredito na minha individualidade, na minha originalidade, no meu eu.
Acredito que quando descobrimos o nosso potencial, liberta-mo-nos da insegurança e da busca incessante/frustrante da aceitação dos outros. 
Acredito que os nossos actos (mais do que palavras e pensamentos), por mais doidos que pareçam, podem e fazem a diferença na vida de alguém, ou de algum ser. Há quem diga que é maluquice, eu digo que é determinação.
Acredito no profissionalismo e respeito pela dança, pela vida e pelo outros. Doa a quem doer, compreendem ou não. Confio nas minhas decisões, e na minha intuição mais do que a razão.
Há doze anos atrás, ESCOLHI, espreitar uma aula de dança onde a musica me encantava. Senti um chamamento estranho. ESCOLHI ouvir esse chamamento experimentando-a e COMPROMETI-ME em saber mais sobre ela. 
Essa escolha, ressuscitou-me, mostrou-me um caminho de auto-descoberta que ansiava encontrar e aqui estou hoje. 
Ter decidido pelo caminho da dança deu-me um sentido de vida que nem sequer sabia que existia. Fez-me agarrar o destino. Deu-me as ferramentas para poder saber quem é e ser a Sara, indomada e livre.
Acredito nas MINHAS ESCOLHAS.
Do you?!


Sem comentários:

Enviar um comentário