Avançar para o conteúdo principal

SIM

SIM:
.posso dizer que realizei mais um sonho da minha lista (interminável). A primeira vez que visitei o Museu do Oriente, para ir assistir a um espectáculo, desejei lá fazer um meu. Três anos depois consegui que me aceitassem e, TENHO O ORGULHO DE DIZER QUE FUI A PRIMEIRA BAILARINA DE D.O. A PRODUZIR TAMBÉM O PRIMEIRO ESPECTÁCULO SOMENTE DE D.O. NAQUELE AUDITÓRIO.

SIM:
.ao contrário da opinião de muitos cépticos (que acham a D.O. uma dança de quinta categoria) engoliram em seco e admitiram que HÁ SIM BOA D.O. EM PORTUGAL. 

SIM:
.superei as minhas expectativas e FOI UM SUCESSO. Sala cheia e excelente feed back por parte do publico que me enviaram os maiores elogios.

SIM:
.consegui encantar, emocionar, divertir com a plateia toda a APLAUDIR DE PÉ no final.

SIM:
.tive CONVIDADOS EXTRAORDINÁRIOS E PROFISSIONAIS que me ajudaram a concretizar o meu sonho. Eles sabem o quanto lhes estou grata.

SIM:
. às quatro queridas alunas que fizeram um trabalho que me deixam muitíssimo babada... ADORARAM-VOS!

SIM: 
. ao apoio incondicional que tenho do meu marido e irmã que ME AJUDAM E SALVAM DE SITUAÇÕES quando eu mais preciso. THANKS!!!!

SIM:
. a todo o trabalho super profissional do Museu, DÁ GOSTO TRABALHAR COM GENTE SÉRIA.

SIM:
. A MIM PRÓPRIA, QUE ME ATREVO A SONHAR E A CONCRETIZÁ-LOS.

SIM:
. AO ORGULHO QUE SINTO DE MIM, MESMO COM MONTANHAS DE OBSTÁCULOS À MINHA FRENTE E COM TODA A INSEGURANÇA DO MUNDO, SIGO OS MEUS DESEJOS E VISÕES. Este espectáculo foi sobretudo para mim, para minha realização pessoal, para me divertir enquanto danço, para sonhar ainda mais!


Comentários

  1. Parabéns por mais este êxito, muitos mais virão! força!

    ResponderEliminar
  2. querida Sara, sim foi um belíssimo sonho, que resultou num belíssimo espectáculo. fiquei muito feliz pelo convite e por ter ajudado a concretizar um sonho!!

    Mereces todo o sucesso do mundo!!! Continua com essa garra e força!!

    Beijinhos,
    Cris Aysel

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Os Primeiros 24 Meses do Resto da Minha Vida

Foram precisos dois anos para conseguir escrever este post.  24 + 9 meses intensos e transformadores. Tal como no texto anterior - Assim Nasceu uma Mãe - precisei de tempo, distancia e lucidez para que estas palavras que aqui vou escrever sirvam-me como uma catarse. Partilho-as porque sim. Porque é preciso dar voz. Porque sinto que há mulheres a precisar de lê-las, de homens a precisar de compreender e uma sociedade a precisar de ter consciência. Porque muito se fala sobre o "cor-de-rosa" da maternidade mas pouco sobre o seu "cinzento". Eu irei partilhar o meu "cinzento" com toques "cor-de-rosa" que nada mais é que somente a MINHA verdade, sem pretender ter comparações, competições ou julgamentos que resultem em criticas ou conselhos (des)construtivos.
Há pouco tempo, enquanto a minha filha brincava num parque infantil, eu, desabafava chorando para a amiga que estava comigo. Por momentos, tive a impressão que muitas das mulheres que ali estavam tam…

E assim Nasceu... uma MÃE.

Ela dorme profundamente. Está silencio e, só agora, passado oito meses desde o nascimento da minha filha é que consigo - FINALMENTE - sentar-me com calma ao computador e retomar o blog. Não escrevo desde Junho. Não consegui. Disse que o voltaria a fazer em Novembro passado... antes de ela nascer disse tanta coisa... pensei tanta coisa... e já se passou tanta coisa. Precisei de tempo. Tempo para criar alguma distancia e assim ter capacidade de raciocínio e destreza emocional para este post. É um texto que me é difícil, mas que me exigi escrevê-lo. Escrevo-o para mim, para recordar, arrumar pensamentos, acalmar sentimentos e para pôr em palavras como foi e como é esta minha nova vivência. Ao partilhá-lo espero que chegue ao coração de muitos e à alma de de quem é mãe.
Eu demorei 36 anos a querer ter um filho. Nunca entendi o tal "relógio biológico a dar horas"(aliás, ainda hoje não percebo o que isso é) e desejo de engravidar. Muito pelo contrario! Fugia "a sete pés" de…